Descubra uma
loja perto de você

Notícias

Esteja a par de todas as novidades sobre a Loja do Condomínio e sobre Administração de Condomínios

Visto: 2319 vezes

Veículos elétricos infantis geram polêmica em condomínio em SP

Notícias do Condomínio

24 de Outubro 2012
Veículos elétricos infantis geram polêmica em condomínio em SP
 
Justiça de Ribeirão Preto determinou que a condução de carros e motos elétricos infantis seja feito apenas por portadores de carteira de motorista, proibindo seu uso por crianças
 
 
A Justiça de Ribeirão Preto, no interior paulista, determinou que motos e carros elétricos só podem circular em um condomínio da cidade por condutores que possuam Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A determinação é do juiz Héber Mendes Batista, da 4ª Vara Cível. A decisão é polêmica, pois os equipamentos são pequenos, movidos à base de bateria e destinados a crianças menores de 10 anos. 
 
A medida foi tomada a pedido do Condomínio Paineiras, na zona sul de Ribeirão Preto, onde a questão foi discutida antes de se ir à Justiça. Em assembleia, a maioria dos moradores votou pela proibição. Ana Luiza Saud, moradora do condomínio, foi contrária à decisão e ingressou na Justiça para tentar revertê-la. Em primeira instância, porém, teve o pedido de liminar negado. 
 
Ana Luiza tem dois filhos, de 4 e 9 anos, que têm três motos e um carro elétricos. Entretanto, as crianças agora estão impedidas de circular com seus brinquedos. Para a mãe, é injusto, pois as crianças não têm idade para tirar CNH, além de dirigirem veículos que andam devagar e não representam perigo para o trânsito. 
 
A Justiça, contudo, acatou o argumento de defesa do condomínio. A alegação é que os brinquedos circulariam no local junto com carros e motos, o que poderia gerar algum acidente grave com responsabilidades para o condomínio. 
 
A polêmica deve render desdobramentos. Enquanto Ana Luiza diz que os brinquedos dos filhos andam no máximo a 10 km/h, o condomínio informou em sua defesa que são veículos "praticamente normais que chegam a 100km/h". A questão agora será analisada em segunda instância pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), com o recurso impetrado pela família que se sentiu prejudicada com a proibição. 
 
Na tarde desta sexta-feira (19), a reportagem entrou em contato com o condomínio. A informação foi que a decisão continua valendo e os brinquedos seguem proibidos no local.
 
  • Comentários Comentários a esta notícia ( 0 )

Comentar esta notícia:

  • Campo de preenchimento obrigatório.
  • Campo de preenchimento obrigatório.Insira um e-mail válido
  • Campo de preenchimento obrigatório.
  • Restam   caracteres
    Campo de preenchimento obrigatório.
  •   Campo de preenchimento obrigatório.
  •   




  • * Campos obrigatórios

Enviar notícia a amigo:

  • Campo de preenchimento obrigatório.
  • Campo de preenchimento obrigatório.Insira um e-mail válido
  • Campo de preenchimento obrigatório.
  • Campo de preenchimento obrigatório.Insira um e-mail válido
  • Restam   caracteres
  •   Campo de preenchimento obrigatório.
  •   


  • * Campos obrigatórios